terça-feira, 17 de maio de 2016

Há certas horas


Há certas horas, que só queremos
a mão no ombro, o abraço apertado
ou mesmo o estar ali, quietinho,
ao lado. sem nada dizer.